Procrastinação: o velho hábito de adiar as coisas

notebook-2344411_1920

Arrumar a casa, pesquisar sobre algo, jogar coisas fora, fazer uma ligação, dar uma resposta, ir para algum lugar, iniciar um curso, investir numa nova carreira, recomeçar, mudar ou coisas mais simples como “daqui a pouco tomo banho”, “daqui a pouco faço o almoço”, “mais tarde leio isso”… E, às vezes, o que acontece é que sequer lembramos do que deixamos pra depois. E, com o passar do tempo, a medida que lembramos o que tínhamos que fazer e não foi feito e vemos o tempo perdido nos frustramos.

Um texto que gosto muito é bem claro e objetivo sobre o assunto: “A expectativa que se adia deixa o coração adoecido, mas o anseio satisfeito renova o vigor da vida.” (Provérbios 13:12)

Isso pode ser tanto pra mudar de residência ou profissão, como apenas enviar uma mensagem para uma pessoa querida pra saber como ela está. E aí não fazemos e deixamos pra depois e depois e depois, até que após dias que se passam nos sentimos mal porque poderíamos já ter feito e não fizemos. E, como diz o texto que mencionei, isso faz mal pro nosso coração. Mas quando resolvemos e organizamos aquilo que precisa da nossa atenção, então sentimos que a missão foi cumprida e isso se torna uma alegria. Alcançamos o objetivo!
Pode parecer algo bobo e simples, apenas rotinas. Mas pode ser que passar a observar e buscar mudar isso renove o vigor da sua vida, desde as coisas mais “complexas” até as mais simples.

Quem temos sido?

baby-499976_1920

Esses dias presenciei uma cena: um bebê, de aparentemente uns 4/5 meses, deitada quietinha no colo de sua mãe. Isso por si só já seria uma cena linda. Porém, mais do que isso, essa bebezinha estava deitada quietinha olhando fixamente para sua mãe, como quem observa a outra pessoa. E o olhar dela pra mãe chamou minha atenção.
Aquela mulher era uma referência de vida, de viver, para aquela criança, nos mínimos detalhes: quando faz algum gesto, quando come, quando fala, quando sorri, quando mexe em algo. Tudo sendo observado.
E então fiquei pensando o quanto nós somos observados a cada dia, por tantas pessoas, e as vezes até mesmo sem saber: o que falamos, como nos comportamos, a maneira como vivemos, nossa conduta, enfim, aspectos diversos.
Será que temos sido bons referenciais dentro daquilo que nos propomos a ser e fazer? Como temos expressado o que acreditamos (ou dizemos acreditar)?
Essas perguntas não são pra que venhamos a nos moldar segundo o olhar das pessoas, mas sim pra que pensemos acerca de nós mesmos, quem temos sido e quem desejamos ser, sabendo que isso é observado (queira ou não) e que pode fazer a diferença onde estivermos.

Deus responde!

Hoje vou compartilhar um texto simples e direto, bem aquilo que Deus fez na minha vida recentemente. Sim, eu vivo para um Deus lindo, maravilhoso, que não é apenas Deus, Senhor, Criador de tudo que há, mas também é um Pai perfeito, maravilhoso, amoroso, cuidadoso!

Nos últimos dias, meses, vinha buscando  respostas em Deus através de oração, conversas com Ele. Algumas coisas eram repetidas, já fazia tempo que buscava, esperava. E, muito recentemente, Ele me surpreendeu com suas respostas, sendo mais do que eu pedi, mais do que esperava (sim, Ele sempre faz isso, Ele surpreende seus filhos, e é sempre de um jeito maravilhoso!). E isso me fez parar e contemplar a grandeza dEle, o cuidado dEle, o carinho dEle, a atenção. Ele é tão grande, tem um mundo inteiro pra cuidar, mas se importa comigo, se importa com você, se importa com cada um de nós! Como é bom e precioso ter a certeza de que há um Pai que nos ouve, que nos ama, que nos vê, que está sempre conosco! Ele é assim, um lindo Pai pra mim!

E hoje gostaria de compartilhar apenas isso, que não é apenas, claro. Compartilhar essa alegria no meu coração por viver essa experiência com Deus, onde mais uma vez Ele me proporcionou tantos aprendizados.

Lendo o texto antes de publicar vi que escrevi várias vezes a palavra maravilhoso, mas é porque é isso mesmo! Ele é tão maravilhoso e essa palavra expressa tanto! Não tudo, porque Ele é infinitamente mais do que a definição de qualquer palavra, Sua grandeza é infindável! É isso!

paper-1100254_1920

O que aprendi (aprendo) no tempo da espera

Que ter sonhos e expectativas ao longo da vida é muito bom e importante, isso nos deixa mais vivos.

Mas aí os anos passam e não necessariamente as coisas acontecem como queremos.

E então os pensamentos e sentimentos de frustração tentam perturbar dia após dia. E podem até conseguir por um tempo.

Mas aí também aprendo que isso pode ser a grande oportunidade de viver tudo novo, e que tudo bem se as coisas não deram tão certo como gostaríamos. A arte está em transformar “os fins” em recomeços.

E quando começo a entender que o melhor está por vir, começo a me alegrar em esperar por isso! E quanto mais acredito nisso, mais eu descanso enquanto espero!

Tá, às vezes é chato esperar, é verdade. Mas então lembro que vale a pena por ter certeza que, nEle, isso não é um tempo desperdiçado e sim a semeadura das boas colheitas que estão por vir!

Tenho aprendido que o problema não é esperar, a questão é como lidamos com a espera. Esperar não é ver a vida passar, é viver enquanto espera (e isso é pra todas as áreas da vida)!

girl-1828079_1920

O valor do silêncio

girl-looking-away-1995624_1920

O silêncio também é uma atitude de fé, é uma forma de dizer que você confia e espera em Deus.

Não estou falando de um silêncio de pirraça, como o de uma criança quando faz birra e cruza os braços. É aquele silêncio fruto do amadurecimento.

O silêncio que aprendeu que nem sempre as palavras precisam se fazer presentes.

O silêncio que entende que enquanto calamos em momentos oportunos estamos em aprendizado.

O silêncio que demonstra que por trás dele existe um coração que aprendeu que na espera somos fortalecidos.

O silêncio que dia após dia mostra que há um coração que aprendeu a descansar.

O silêncio que busca sabedoria no observar e no ouvir.

O silêncio de quem aprendeu algo que li esses dias: “nossa oração silenciosa faz barulho no céu”.

Hoje fui ao aeroporto

E estando apenas na porta de entrada já foi o suficiente pra suspirar e pensar nas idas e vindas da vida. Minha mãe indo viajar, meu irmão mudando de estado após se casar, dentro de mim todos os dias se movendo fortemente as expectativas e visões do futuro…

As coisas estão ficando diferentes, bem diferentes. Há um tempo atrás tudo isso poderia me causar um grande medo, medo de como será, medo do que virá, medo do que não vejo. Mas graças a Deus (e não é frase corriqueira não, é graças a Ele mesmo rs) aprendi que isso não é motivo de pavor.

Todas essas mudanças são estações da vida, são fases, e é importante que passemos por elas. E a cada estação o clima muda, novas plantas, novas cores, folhas secas, outras cheias de simplicidade e beleza. E a cada ida e vinda, em cada estação da vida, por mais quente ou fria que tenha sido, ela passou. E que no meio disso tudo a gente saiba apreciar as riquezas de cada estação que vai e de cada estação que chega.

aircraft-513641_1920

Onde ele está?

headphones-2155604_1920

Dia desses, finalzinho de tarde, fui pegar no meu quarto meu fone de ouvido, pois queria ouvir algumas músicas no celular. Entrei no quarto, peguei o fone, mas ia rapidamente voltar na sala. Então o deixei novamente no quarto, fui pra sala e aí sim voltei no quarto para finalmente usar o fone. Mas cadê ele? Não conseguia encontrá-lo!

E, juntamente com outros motivos, isso foi o suficiente pra me deixar mentalmente e emocionalmente exausta. Eles estavam ali agora, como podem ter sumido assim? E então fiquei alguns minutos procurando, mexendo e revirando as coisas que estavam no quarto. O problema é que tinham coisas fora do lugar, algo mais popularmente conhecido como bagunça. E, mais do que isso, nesse dia não só havia uma bagunça no ambiente externo (meu quarto), mas dentro de mim algumas coisas também estavam fora do lugar, dentro da minha mente. E então aqueles minutos de busca pelo fone pareciam eternos, olhava tudo ao redor e não conseguia enxergá-los de jeito nenhum!

Depois de procurar por um tempo, parei, fechei os olhos e respirei, fiz uma pausa, como quem tenta retomar o pensamento e a calma. Recomeçar. Foi então que olhei novamente ao meu redor e vi o fone exatamente onde eu havia deixado minutos atrás, na cama. Sim, eles estavam exatamente diante dos meus olhos. E depois fiquei pensando como foi possível não enxergá-los se eles estavam bem na minha frente.

E foi aí que comecei a refletir sobre esse episódio, onde, por causa de uma bagunça no ambiente externo e interno, eu não conseguia enxergar algo tão óbvio que estava na minha frente, exatamente onde eu mesma havia colocado. Mas “perder” um fone pode ser algo trivial, tudo bem. O problema é que muitas vezes não conseguimos enxergar diante de nós coisas tão importantes e essenciais: pessoas, coisas boas ou até mesmo nossa identidade. Talvez seja tempo de fazer uma pausa e organizar o ambiente, que pode ser um ambiente físico externo do nosso dia a dia ou um ambiente interno chamado eu.

O que te dói?

baseball-454559_1920

São tantas as ferramentas que podem ser usadas e nos causar a dor. Uma perda, uma frustração, uma palavra, imagem, decepção. Um olhar, a falta de um abraço, de um sorriso, a saudade, a espera.

Mas…

Já parou pra pensar no que te cura?

Uma imagem, uma surpresa boa, um olhar, um abraço, um sorriso, ter pessoas, uma conquista, a gratidão, bons pensamentos, bons sentimentos, a fé, o perdão, uma palavra,

A Palavra.

Valorize aquilo que tem, que te faz bem. Não foque apenas naquilo que causa a dor, aprecie aquilo que pode ser simples, mas de profundo valor. Tantas vezes damos ênfase nos momentos ruins, mas nem sempre celebramos os bons. E não precisam ser momentos considerados grandiosos. A grandeza está na maneira como enxergamos.

O simples acordar pode ser sua grande alegria todos os dias. Seu respirar pode ser o motivo da sua gratidão. Ter as pessoas que você tem pode ser seu maior presente na vida. Uma conversa repleta de gargalhadas ou um abraço podem ser uma oportunidade de renovação. Até mesmo as tristes lágrimas podem ser as águas usadas para semear hoje aquilo que colheremos com sorrisos amanhã.

E você pode pensar ou dizer: “Mariana, que utopia.” Bem, cada um pode fazer a sua escolha sobre como enxergar a vida. É verdade que teremos a dor ao longo do caminho, faz parte do crescimento. Crescer dói. Mas o crescimento significa que estamos vivos e que enquanto crescemos temos a oportunidade de fazer novas escolhas todos os dias. Escolha descobrir as pequenas alegrias.

Se eu pudesse…

Se eu pudesse mudaria algumas coisas,

mudaria algumas escolhas,

mudaria alguns momentos.

Iria procurar sorrir mais e chorar menos.

Seria menos “neura” e buscaria mais leveza.

Se eu pudesse aproveitaria muito mais tudo que foi muito bom,

deixaria ir com mais facilidade o que não foi tão bom assim.

Se eu pudesse viveria alguns momentos mais intensamente.

Repetiria algumas escolhas e apagaria outras…

 

Mas hoje eu sei que posso muitas coisas,

posso escolher muitas escolhas que fazem tudo novo.

Posso escolher Te obedecer todos os dias,

pois eu sei que é o melhor.

Posso escolher Te amar e Te seguir sempre.

Posso escolher viver em Tua presença a cada momento.

Posso escolher ser grata e lembrar com alegria de tudo que foi bom e deixou saudade.

Posso escolher ser grata por poder aprender com tudo que me fez chorar, doer e sofrer. Ser grata porque isso faz amadurecer.

Posso escolher continuar aprendendo Contigo,

sorrir ao Seu lado os mais perfeitos sorrisos,

chorar em Seu colo choros altos, outros nem tanto, mas que também são doídos.

Posso escolher ser renovada em Seu abraço que só um verdadeiro Pai tem pra dar.

Posso escolher me levantar e recomeçar porque sei que estás comigo.

Posso escolher me alegrar com o que virá, porque por mais que eu não saiba o que é sei que Você vai estar lá.

Mas sei que por mais que eu possa escolher tudo isso nem sempre será fácil.

Têm e terão dias difíceis, dolorosos, inseguros, estranhos…

Mas eu sei que estarás comigo porque o Senhor me garante isso.

Obrigada.

father-and-son-2258681_1920

 

José floresceu ali

Será que era o sonho/ desejo/ vontade de José estar em uma prisão? Provavelmente não. José, como cada um de nós, tinha um propósito e ainda muito jovem recebeu sonhos que tinham a ver com esse propósito, mesmo que naquele momento não os compreendesse. Após esses sonhos, sendo ainda jovem, passou por muitos momentos de dificuldade: a traição dos próprios irmãos, ser levado pra uma terra estranha, viver longe da sua família durante anos, ser feito de escravo, ser acusado por algo que não fez e por causa disso ir para a prisão.

Tudo isso é relatado de forma breve em sua história, mas parando pra refletir sobre isso podemos imaginar quanta dor José foi levado a sentir a cada dia por cada uma dessas vivências. Mas também podemos perceber que em cada uma dessas etapas José estava sendo preparado para o que viria lá na frente. Em cada uma dessas etapas permaneceu e prevaleceu o relacionamento de José com Deus.

Sabe quando ele foi preso injustamente? Ele teria todos os motivos para chorar, murmurar, se abater, questionar…mas José floresceu ali. E após essa etapa em sua vida, de prisioneiro vai a governador do Egito. E ter sido feito governador foi essencial para salvar todo um povo da morte, da miséria, da fome que seria causada pela seca.

Deus estava no controle de tudo em todo tempo. Será que José sonhava e desejava viver cada momento de dor que passou? Provavelmente não, mas mesmo assim ele floresceu ali. Ele estava sendo preparado por Deus e foi fiel mesmo durante um tempo em que talvez não entendesse exatamente os porquês.