O que sai da nossa boca: vida ou morte?

people-2559723_1920

Muitas vezes somos marcados em nossa vida por excelentes lembranças de conversas, palavras que ouvimos, coisas que nos foram ditas e nos fizeram tão bem, fortaleceram. Mas também somos marcados por palavras que podem ter nos causado dor, tristezas.  Quantas situações vividas onde falamos algo e em seguida pensamos: “Pra que fui falar isso?”.  E vem o arrependimento.

Geralmente, essas palavras ruins são ditas em momentos onde as emoções estão a todo vapor, discussões, momentos de raiva. Palavras que não foram muito pensadas, mas são simplesmente ditas, e, depois de faladas, não voltam mais. E então o arrependimento por ter dito, a dor ou surpresa de ter ouvido, a necessidade de reparação, de perdão.

Já as boas, belas e doces palavras muitas vezes nos fortalecem, criam em nós convicções que levamos por toda a vida, sendo encorajados a prosseguir e caminhar mediante a lembrança dessas palavras. Podem ter sido ditas por nossos pais, amigos, pessoas que passaram por nossa educação escolar, até mesmo por desconhecidos.

Duas mensagens me marcam muito acerca desse assunto: “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; […]” (Provérbios 18:21) e “Saber dar uma resposta é uma alegria; como é boa a palavra certa na hora certa!” (Provérbios 15:23).

Nossas palavras têm poder. Elas estão sendo usadas para edificar e alegrar ou para ferir, nos colocar em situações difíceis, criar confusões?  O que temos gerado em nossa vida e na vida de outras pessoas através de nossas palavras: vida ou morte? O que falamos reflete nosso interior, “pois a boca fala do que está cheio o coração.” (Mateus 12:34).

 

Mariana Waknin

Princesa do Rei!

9 comentários em “O que sai da nossa boca: vida ou morte?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *