Ao caminhar na escuridão, aprendeu a enxergar o brilho das estrelas

fireworks-3182677_1920

Têm coisas que só conseguimos enxergar na escuridão. O brilho das estrelas, por exemplo. Elas estão sempre lá, mas durante o dia, por causa da luz do sol, não é possível vê-las.  Às vezes,  assim que escurece em nossa vida, parece que não vamos sobreviver. Perdemos a visão imediata, o que penso ter o controle ao meu redor, e isso pode ser assustador. O que fazer? Chorar, temer o invisível, tentar com nossas próprias forças resolver a situação imediatamente, desistir… ou então, olhar pro alto. E lá estão elas, as estrelas, com seu brilho e disposição que só podem ser contemplados quando todo o restante é escurecido. E com a gente não é diferente. Quando tudo escurece, tem algum brilho a ser descoberto, algo que, quando vai tudo bem, não temos a capacidade de enxergar, afinal nem sabemos que aquilo está la. Geralmente, assim que apagamos a luz, não enxergamos nada. Mas, depois de alguns minutos, as coisas começam a mudar. Na escuridão desenvolvemos visão aguçada. Com essa visão mais minuciosa começamos a ver o que antes não se via, nosso olhar aprende a descansar e se moldar para as novas circunstâncias. E então voltamos a enxergar o que antes não víamos ao nosso redor, mais atentos, mais cuidadosos, mais observadores e com um algo a mais: aprendemos a enxergar um brilho que antes não podia ser visto. Por pior que possa ser, tem estrela na sua escuridão. Encontre-a! E isso foi o que Deus me ensinou numa dessas madrugadas.

Mariana Waknin

Princesa do Rei!

Um comentário em “Ao caminhar na escuridão, aprendeu a enxergar o brilho das estrelas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *