Seu namoro reflete a segunda escolha mais importante da sua vida.

holding-hands-2180640_1920

Hoje é o dia nacional oficialmente estabelecido para celebrar o dia daqueles que namoram, amam, se relacionam! Digo oficialmente porque todos os dias essa união pode ser celebrada, independente de data comemorativa. Esse texto pode ser lido sob muitos olhares: aqueles que namoram,  aqueles que estão noivos, os que já estão casados, os que não pensam muito sobre isso nesse momento da vida, os que esperam a chegada dessa etapa, os que estão ansiosos e também aqueles que não pretendem se relacionar… podem ser muitos olhares.

Seja qual for o ponto que você estiver, já passou ou passará  (se você almeja por um relacionamento) por essa escolha: a pessoa que você irá compartilhar a sua vida por toda a vida. E exatamente por ser a segunda escolha mais importante é ainda mais importante pensar sobre ela. Se você já escolheu e se casou com sua escolha, honre esse compromisso, cuide, ame.

Aos que estão em alguma outra parte do processo, que a cada dia possamos refletir sobre essa decisão, pra que seja feita com sabedoria em Deus, com inteligência, e não por um estado emocional aflito, com paz, não por um anseio desesperado. Que seja feita com o coração de quem compreende a importância desse passo, aprendendo a entregar pra Deus os dias difíceis de espera ou ansiedade, aprendendo a se amar, conhecer a si mesmo, se bastar, amar sua própria companhia, e sabendo que em tudo que vivemos nEle há um propósito muito maior do que nossos olhos conseguem alcançar, e que todas as coisas, sejam elas boas ou ruins, cooperam para o bem. Que a vontade de Deus é que tudo com Ele coopere para que nossa escolha seja a melhor e plena de tudo aquilo que Ele preparou para nós! Descansa seu coração! E você que tem a sua pessoa, aproveite para demonstrar isso!

Compartilhe o que você tem

young-woman-1745173_1920

Muitas vezes, quando lemos esse tipo de mensagem, logo pensamos no compartilhar material: dinheiro, alimentos, roupas… E tudo isso é correto, excelente e realmente devemos também compartilhar, faz parte do processo. Mas digo também porque não é apenas isso que podemos oferecer. Temos muito mais, somos muito mais! Compartilhe seu sorriso, pode ser a alegria do dia de alguém. Compartilhe seu abraço, pode ser refúgio. Compartilhe seus conhecimentos, pode ser uma fonte de inspiração. Compartilhe seus erros e aprendizados, acertos e fracassos, isso pode ser lição pra vida de quem ouve. Compartilhe sua história, sua essência, seu amor. Isso vai além do que tenho, isso fala de quem sou. Compartilhe o que você tem, mas também compartilhe o que você é.

Precisamos aprender a ouvir o que vemos

photographer-2179204_1920

Nem sempre será por palavras, por frases ditas ou explicadas. Nem sempre será por um conversa, uma aula ou palestra, tampouco por uma advertência verbal. Muitas vezes será pelo silêncio, por um olhar, por um gesto que você vai presenciar. Por uma lágrima, uma foto que registrou um momento único, pela atitude de alguém. Será por observar as pessoas que mais convivemos no dia a dia, nossa família, nossos amigos, vizinhos. Por isso, precisamos aprender a “ouvir” o que vemos, pois, em muitos momentos, o que é observado e visto vai falar e ensinar muito mais ao nosso coração do que algo que seria dito. Palavras comunicam. Atitudes também.

Parecia que eu ia morrer… mas só parecia.

young-woman-2268348_1920

Medo, dúvida, incerteza, decepção, frustração. Nada se encaixava, nada fazia sentido, por que tinha que ser assim? Até ali tudo parecia ter dado errado, todos os planos, sonhos, investimentos, conselhos, aprendizados, parecia tudo errado. Parecia que não tinha mais outro caminho, que “já era”, não adiantou nada. Parecia que tudo que eu era ou pensava ser tinha se perdido. Parecia que eu ia morrer… mas só parecia. Porque na verdade aquele morrer era um reviver. Doeu, mas Ele curou, quando me senti no chão Ele sustentou, me senti sem estrutura, então Ele se revelou como minha maior estrutura e quando entendi isso Ele criou tudo novo dentro de mim, fora de mim, a partir de mim. Me senti fraca, e foi exatamente quando Ele me fez mais forte. O que parecia morrer na verdade era pra trazer vida, uma nova vida. São tempos, ciclos, estações. E Ele nunca faltou, Ele sempre cuidou, Ele sempre me ensinou, tudo Ele: Jesus.

Aprenda a cuidar também dos seus projetos pessoais

notes-3819574_1920

Muitas vezes investimos muito tempo em projetos como o emprego que estamos, sonhos de outros, nosso dia a dia, cumprir a rotina. E no meio disso tudo, de tantos afazeres, de tantos compromissos, podemos estar esquecendo de cuidar daquilo que pode ser tão precioso e importante pra nós. Nossa família, pais, cônjuges, filhos, parentes, amigos, um sonho que temos guardado. O tempo vai passando, tudo vai acontecendo, e nossos sonhos e o que temos de tão valioso pode estar ficando pra trás sem que a gente nem se dê conta disso e consiga perceber exatamente o que está acontecendo. E depois só vemos que o tempo passou e algumas coisas que deveriam vir conosco não vieram, ou não vieram como deveriam. Por isso cuide daquilo que é importante pra você, priorize prioridades que talvez você tenha deixado, sobretudo vidas, família e amigos. Esses são os bens mais precisos que Deus nos deu. Cuide!

Não se esqueça que a sua mente é o maior campo de batalha: proteja-a!

chess-3325010_1920

Sim, nós podemos escolher o que pensar. Não apenas aceitar passivamente tudo que chega até nossa mente, tudo que começa a ser processado nela, mas sim estabelecer o que é saudável a nós e o que não é, o que vale a pena investir tempo pensando e o que não. E isso não é fácil, por isso é uma batalha.
Nossa mente tem uma enorme capacidade de criar, pensar, projetar, imaginar. Ela processa informações, recebe influências, imagina potências. E o que fazemos com tudo isso?
Nossos pensamentos influenciam em nossas emoções, na forma como enxergamos a vida, como lidamos com os fatos, com a realidade, com as pessoas. Por isso, é vital o nosso cuidado a cada dia. Proteger a mente é proteger a forma como conduzimos a vida. Pense nisso!

É preciso se aquietar.

woman-1030920_1920

Têm dias que a gente simplesmente não quer falar muito. Não quer argumentar muito, justificar ou tentar resolver. A gente só quer pensar, refletir, analisar, observar a nós mesmos, o que está ao nosso redor, a vida, as pessoas.
Quando silenciamos tudo, as vozes, opiniões, nosso eu, nossas vontades, nossa alma, nossos achismos, pra simplesmente focar no hoje, no presente, e pensar no porvir. Pensar em silêncio, pensar com calma, com paz. Procurar ver o que realmente importa e reencontrar valores e certezas que podem ter se perdido pelo caminho, ou que podem ter mudado mesmo. Se encontrar, reencontrar, redefinir.
Ouvir a verdade de Deus sobre nós, sobre nossa vida, sobre tudo aquilo que Ele já preparou. Aprender com a sabedoria do silêncio.E esse é um dos momentos que mais nos proporciona crescimento.

E se a ansiedade quiser te fazer correr, faça ela parar!

black-coffee-2847957_1920

É sábio escolher não caminhar por ansiedade, mas sim por determinação.
Não ser guiado por emoções momentâneas, mas sim por propósitos eternos.
Não correr porque todos correm, mas sim dar passos necessários pra alcançar o alvo.
Saber onde quer chegar.
E se não der certo, decidir prosseguir e recomeçar.
Também é sábio saber chorar, perder, compreender que nem sempre será conforme o planejado/ sonhado.
E é sábio continuar, mesmo que não compreenda.
É sábio estabelecer limites em nossos pensamentos, porque nem tudo que pensamos é útil pra nós.
Que nossas escolhas sejam pensamentos de vida.
É sábio decidir entregar tudo aquilo que nos aflige para Deus, afinal, Ele sempre nos orienta a não temer, não andar ansioso ou preocupado, lançar isso sobre Ele, descansar e confiar.
É sábio obedecer, é sábio saber esperar (mesmo que isso nos faça chorar), pois, no dia certo, o novo se fará.

Às vezes perdemos as bênçãos porque não sabemos reconhecê-las.

morning-819362_1920

Uma história simples, mas muito significativa pra mim. Há pouco tempo me mudei para Florianópolis. Costumes diferentes, cultura diferente, situações diferentes das quais eu estava habituada na minha cidade.
Um dia, saindo da igreja, fomos almoçar em um grupo de três meninas em um restaurante que eu não conhecia. Naturalmente, fomos ver as opções de comida e começamos a nos servir. Ao passar pela parte de carnes, o senhor que estava na cozinha foi bastante gentil no atendimento (que hoje vejo que é bem característico nas pessoas daqui) e falou algo sobre levar uma carne fresquinha na mesa. Eu não entendi muito bem porque falou um pouco baixo, mas era mais ou menos isso rs.
Minutos depois que já estávamos comendo, esse senhor veio até nossa mesa com a carne e ia deixar lá para nós. Mas já tínhamos pesado a comida e teríamos que pesar novamente apenas a carne. Ele não entendeu muito quando eu falei sobre isso, porque eu meio que rejeitei, já que estávamos satisfeitas e já tínhamos pesado. Ele ficou meio sem saber o que fazer, e então uma das meninas que estava comigo disse: “Então pode deixar moço que eu aceito.” Ele colocou o prato na mesa e voltou para a cozinha. Eu não entendi nada. Como assim? Ele foi nos servir apenas como uma gentileza? Dar algo sem cobrar nada? Isso pra mim não era nada normal, desconfiei. Fiquei vários minutos pensando sobre aquele gesto. Falei com as meninas e uma delas disse que era normal isso na cidade, era apenas como uma gentileza da casa. Terminamos, pagamos a conta e fomos embora. E sim, não nos cobraram nada por aquilo, era apenas um cuidado em nos servir. Por pouco perderíamos aquela gentileza, pelo simples fato de que eu não estava acostumada com isso, então rejeitei. Mas, como uma das meninas já sabia ser normal, aceitou. E foi apenas isso, uma simples, porém importante lição pra mim.

Os dias difíceis agora são minha memória de resistência

hands-791371_1920

Até passarmos por uma fase intensamente difícil pra nós, seja pelo motivo que for, só conhecemos o “difícil” de ouvir falar. E quando ele chega vemos que, realmente, muito do que apenas ouvíamos existe. E, geralmente, ouvimos e lemos muito sobre isso, sobre como passar por esses momentos, que vale a pena resistir, enfrentar, lutar, que tudo vai passar. E isso é bom. Mas hoje quero ir um pouco além, falar de um tempo mais à frente, posterior ao seu período difícil.
Os piores dias, as maiores lutas dentro de mim, as maiores dores, as grandes confusões na mente, o tempo em que tudo parecia contribuir pro pior tempo. Hoje, quando olho pra trás e lembro de tudo isso, vejo que foram apenas a base pra construir o novo. O novo tempo, o novo eu, pra contribuir pra que eu fosse mais da pessoa que quero ser. Olho e agradeço, lembro, contemplo, porque esses dias difíceis agora são minha memória de resistência. Não apenas resista e sobreviva aos dias ruins, mas principalmente viva os dias excelentes que estão por vir. Só depende da sua escolha.